Parabéns, você é um novo líder! E agora? [Parte 2]

3149487183_91ded738b2_zNa primeira parte desse artigo dei algumas dicas úteis e conselhos sobre as principais características que um novo líder deve ter para fazer bem o seu trabalho. Apenas para lembrar, são: fique calmo e não entre em pânico; a comunicação é tudo; confie no seu time; amplie seus horizontes; faça perguntas e escute o feedback.

Hoje, comentarei sobre outros aspectos da posição de líder, que são às vezes desvalorizados mas serão fundamentais para o desenvolvimento de sua carreira, e também tornarão sua rotina muito mais fácil. Em primeiro lugar, analisaremosr o que geralmente chamamos de soft skills.

Influência: ser um mestre em influenciar consumidores, vendedores, a diretoria, o time de gerenciamento e outros sócios interessados nos seus projetos é uma arte–mais do que uma habilidade–que você deve praticar com freqüência.

Para exercer uma influência real e benéfica, você deve ser experiente. Influência requer um soft touch, paciência e tempo para entender a sua audiência, e a habilidade de trazê-los para o seu lado da mesa. Tente encontrar o que realmente motiva a pessoa à sua frente (e não é sempre o dinheiro, acredite!), e encontrar um ponto de conexão entre essa ideia e seus próprios interesses. Essa técnica tornará as negociações muito mais simples.

Não confunda, entretanto, influência com manipulação. influência, no nosso contexto, significa encontrar os pontos comuns de interesse que podem facilitar uma negociação. É uma situação onde os dois lados vencem. A manipulação significa usar pessoas para atingir apenas os seus interesses, às custas do outro lado. Manipular seus colegas pode até trazer benefícios a curto prazo, mas danificará a sua reputação e a sua carreira de maneira irreversível. Acredito que você não precisa disso, não é?

Humildade: a humildade pode ser definida como a qualidade de ser humilde; ter uma opinião modesta da sua própria importância ou posição. Você está em uma nova e importante posição e é natural sentir-se importante. Entretanto, deixe o seu ego na porta do escritório. Mais do que liderar o seu time, aprenda a liderar com o seu time! Reconheça o valor das pessoas que trabalham com você; ajude-os a avançarem em suas carreiras; aceite qualquer feedback, especialmente os negativos, com profissionalismo e respeito. Nesse contexto, a lição de Michael Wade é apropriada:

Quando um líder se torna ultra-sensível às críticas ou dissidências, esse é um sinal de decadência. Líderes confiantes podem levar golpes. Podem também procurar opiniões que consideram ridículas para ver se o nevoeiro contém qualquer coisa digna de mérito.

Agindo dessa maneira, você será visto como moderado, justo e humilde, o que certamente lhe abrirá portas no futuro.

Seja honesto: quando der a sua palavra, honre-a! Simples assim. Se não tiver certeza de que pode cumprir uma promessa, não prometa! Se você errou, admita, peça desculpas e veja a maneira mais rápida e eficiente para consertar o problema. Nesses dias, onde a contenção do perigo se tornou mais importante do que a verdade em si, ser honesto fará com que seja bem visto pelos seus superiores, clientes e colegas.

Evite a fofoca: sério, temos mesmo que falar sobre isso? Quando ouvir alguma fofoca no escritório, apenas diga isso: “Eu não falo sobre quem não está presente.” Isso deixará claro que você é uma pessoa correta e exige respeito, para si e para os outros. Isso também prevenirá que espalhem boatos a seu respeito.

Aceite a culpa: sim, meu amigo, ninguém disse que seria fácil… não importa o que tenha dado errado, um relatório ruim do status do projeto, uma atividade não cumprida, etc… Assuma toda a responsabilidade pelos erros e ações do seu time e adote as medidas necessárias para corrigir o problema. Não importa, no momento, de quem é a culpa; lide com o responsável depois.

Esteja lá pelo seu time. Sempre: você sempre precisa mostrar ao seu time que está atrás deles. Como um líder, você tem que entender as necessidades da sua equipe e lutar por ele. Consiga um orçamento para treinamento; as ferramentas necessárias para uma performance melhor; novos computadores; uma nova tecnologia, o que quer que seja. Nem sempre será bem sucedido, mas é importante que aja como defensor.

Isso é tudo por hoje. Na terceira e última parte deste artigo, falaremos sobre mentoring, coaching, e os quatro comportamentos que um líder não deve ter. Fique ligado!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s